O QUE APRENDI DIVIDINDO APARTAMENTO

A gente sabe que não tá fácil bancar um aluguel, principalmente se você pretende morar no Rio de Janeiro. Se as contas não fecham pra seguir carreira solo, a solução é di-vi-dir. “Ah, mas eu quero mesmo dividir, senão vou me sentir muito sozinha.” – se você pensa assim, já começou errado.

Continue lendo “O QUE APRENDI DIVIDINDO APARTAMENTO”

O TRISTE FIM DO ROMANTISMO

Não sei bem quando, como ou por que ele foi exterminado. Ex-ter-mi-na-do, palavra que por si só tem o poder da sua ação. Não poderia escolher outra, menos forte, para anunciar o iminente fim desse estado de espírito capaz de produzir as mais belas frases de amor, paixão, loucura e tristeza: o romantismo.
Continue lendo “O TRISTE FIM DO ROMANTISMO”

O QUE AS BARRIGAS ANDAM FAZENDO

Vocês já exploraram a ○lupinha○ do Instagram? Pelo que descreve o app, as fotos são sugeridas com base nas pessoas que você segue. Ou seja, quem a galera que eu sigo segue.

Resultado: a cada 10 fotos, 2 são de barrigas saradas.

As barrigas não estão de férias (algumas sim, na Grécia), não estão trabalhando para botar comida em casa, nem estão servindo de travesseiro para uma pessoa querida. As barrigas estão fazendo selfie no espelho – pasmem.

A nova fixação da Internet é a barriga sarada. E apenas na Internet, porque na praia não encontro essas barrigas, nem quem se importe com elas de fato.

O que mais me intriga é que a barriga de ninguém que eu sigo – homem ou mulher – posta selfie no espelho. Ainda assim, essas barrigas seguem barrigas saradas alheias que postam. Pra quê? Se a sua não tem a vaidade e/ou disposição de fazer mil abdominais e te obriga a comer um doce ou fritura por dia. Não tem identificação nenhuma, estão entendendo? Pra que idealizar uma barriga que só existe na Internet e na academia (lugar que você nem curte frequentar)?

Por uma Internet com menos protagonismo da barriga.
(E menos desculpas por textões).

Ass.: Barriga da Alice
E tem mais…

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑